O AMOR N  

rm_party2203 59M
5 posts
4/12/2006 8:58 am
O AMOR N


O AMOR NÃO SE COMANDA
Não amamos o que queremos, mas o que desejamos. Como poderíamos escolher nossos desejos ou nossos amores ‒ ainda que entre vários desejos diferentes, entre vários amores diferentes
Num tratado das virtudes, em função deles. O amor não se comanda e não poderia, em conseqüência, ser um dever ‒Sua presença é o que amamos e que não escolhemos....
Mas devemos dizer também que virtude e dever são duas coisas diferentes, ambas necessárias, solidárias uma da outra até mesmo simétricas.
“O que fazemos por amor sempre se consuma além do bem e do mal”,
O amor é uma espontaneidade alegre, o que fazemos por amor não fazemos por coerção, nem, portanto, por dever o amor existe, quando o desejo existe.
Pode-se amar, pode-se acariciar, com mais ou menos generosidade, mais ou menos doçura, mais ou menos pureza, mais ou menos fidelidade, mais ou menos prudência, quando necessário, mais ou menos humor, mais ou menos simplicidade, mais ou menos boa-fé, mais ou menos amor…
O amor físico não é mais que um exemplo, que seria tão absurdo superestimar, como muitos fazem hoje em dia, e como foi, durante séculos. É toda a nossa vida, privada ou pública, familiar ou profissional, que só vale proporcionalmente ao amor que nela pomos ou encontramos
“O amor não se comanda, pois é o amor que comanda”.
Não está ao alcance de nenhum homem amar alguém simplesmente por ordem, o amor não é um mandamento: é um ideal esse ideal nos guia, e nos ilumina.
Não nascemos virtuosos, mas nos tornamos e somente quem ama não precisa mais agir como se amasse, sem o amor, o que restaria de nossas virtudes?
Ainda que a nós, nos foi dado, que soubesse-mos conservar, sonhar ou reencontra o amor.... Primeiro o calor dos corpos e dos corações. Primeiro a fome e o leite. Primeiro o desejo, primeiro o prazer. Primeiro a carícia que aplaca, primeiro o gesto que protege ou alimenta, primeiro a voz que tranqüiliza, seria antes seu efeito, sua superação e seu mais belo êxito
Todo o alfabeto de vive não se sai do amor, já que não se sai do desejo, mas o amor se transforma e nos transforma
“O que é o amor? Eis a grande questão”.
O amor não é tão desconhecido assim, nem a tradição tão cega, a ponto de ser preciso inventar sua definição! Tudo talvez já tenha sido dito. Falta compreender.

Become a member to create a blog