O Anjo e o Dem  

MisMay 42F
77 posts
12/17/2005 5:12 pm

Last Read:
3/5/2006 9:27 pm

O Anjo e o Dem

O Anjo e o Demônio que existe em cada um de nós.

Anjo: luz; Demônio, escuridão. Como conciliar esses dois aspectos da personalidade? Não há conciliação. Anjo: candura, leveza, amor, caridade, afeto (que abranda o nosso coração).
Demônio: ódio, apego, trevas, luxúria (que nos persegue ferozmente...).
Queremos alçar o vôo mais alto e fugidio e ao mesmo tempo queremos reforçar os grilhões que nos prendem ás paixões mais baixas. Pobres escravos!!! O amor quando chega, já nos pega de assalto, preenchidos de egoísmo, ciúmes. Apego e malícia. Anjo e Demônio, duas faces resplandescentes de fascínio, que nos atraem, nos arrastam, nos levam ao céu/inferno. Como fugir, se o desejo de experimentar certos prazeres é justamente a parte mais cruciante da minha dor?
Em minha alma trava-se uma batalha fatal e eterna, do bem contra o mal. Quem vencerá? O Anjo/Bem, com sua espada de luz, sua caridade que acolhe; sua suavidade, que abranda; seu amor, que perdoa? Ou o Demônio/Mal, com seu magnetismo, que prende; sua voz, que seduz; seu olhar, que promete? Não! Não! Nessa guerra não há vencido, nem vencedor, pois um não vive sem o outro. Essa dualidade é parte intrínseca do ser humano. Somos o nó que une as divindades. Somos o campo fértil e latente de amor, ódio, desejo, apego, bondade, suavidade... Somos ricos e privilegiados; desgraçados e perdidos. Vivenciamos a VIDA em todos os seus aspectos: positivos e negativos. Atormentados joguetes do destino, possuímos o suposto direito ao livre-arbítrio. Livre (restrito) arbítrio, e uma consciência que nos aponta com seus dedos de garras, acusadores...
Quero fugir Quero ficar! Quero fugir do ódio que me agrilhoa; Quero ficar no amor que me liberta...



SuperFuckerPlus 54M
1 post
12/21/2005 4:29 pm

ser ou não ser,
prazer ou dever,
realidade ou fantasia,
estamos sempre perdidos nesse limbo,
esse limbo se chama vida


rm_alcion71 46M
4357 posts
1/21/2006 3:26 pm

MisMay, me agrada ler teus textos. Mas como meu portugues e pobre, deixarei minhas respostas em espanhol.

Beijos.

Alción.


rm_Juli0_21 32M
1 post
5/31/2006 8:20 am

O quanto realmente sabemos sobre nós mesmos? O quanto podemos tentar descobrir realmente? Será que devemos mesmo tentar?
Quão grande é o prazer dessa descoberta? Será que esse prazer supera realmente toda a maravilha desse nada saber?
Esse mistério que nos corrói é apenas prazeiroso por não ter sido descoberto, por não ter resposta plausível sequer. Tudo o que sabemos é que esses anjos e demônios que se engalfinham profusamente dentro de nossa consciência são uma metáfora somente, ou um sinal de que cada parte da resposta é oposta a outra.
Parte dessa resposta está com nossos anjos que nos impelem aos mais altos lugares de nossa própria existência, num maravilhamento comtemplativo.
A outra parte pertence aos nossos demônios que nos arrastam aos abismos de nossas almas em uma profusão de dor e prazer extasiantes que nos entropece e vicia, mostrando o quanto dependemos de nossos prazeres.
E é dentro desse confuso e extasiante turbilhão que navegamos, buscando em outro aquilo que nos comandam nossos anjos e demônios. Do amor mais puro ao mais ardente desejo carnal só sabemos de uma coisa: essa nossa dependência e essa nossa servidão nos levam ao encontro de nossas paixões, em busca de prazer, dor, maravilhamento e horror.
Só assim temos a certeza de que vivemos. Só assim conseguimos continuar nossa busca por uma resposta que não queremos realmente.juli0_21


Become a member to create a blog