Minha primeira com Igor  

rm_SweetSutra 36F
106 posts
10/6/2005 7:45 am

Last Read:
7/23/2006 4:22 pm

Minha primeira com Igor

Tinha acabado de chegar à casa nova, cerca das 17h, quando
os trabalhadores começaram a arrumar as coisas para irem
embora. A parte exterior - chão, muros e jardim está quase
terminada e tem sido aí que três do grupo continuam a trabalhar,
Igor entre eles.
Reparei, quando tirava algumas compras do carro que o Igor
se mantinha a fazer algo junto ao portão da garagem que não
consegui ver o que era, enquanto os outros dois já se preparavam
para sair. Consegui entender, porque estavam perto de
mim, que um deles lhe perguntou se ele não os acompanhava,
ao que Igor respondeu apenas com um aceno negativo de cabeça.
Acho que eles desconfiaram que existia algo «no ar» diferente
dos outros dias, pelo olhar irónico que trocaram depois
de um relance rápido pela minha pessoa. Julgo ter corado,
porque senti um calor enorme a subir pelas faces - por enquanto
foi só nas faces. :lol:
Entrei em casa e encaminhei-me para a cozinha, colocando
as compras no frigorífico e na despensa. Quando seguia
para a sala, notei que a porta do corredor para a rua já não
estava encostada como a havia deixado, mas completamente
escancarada.
Cheguei à sala e Igor estava parado no meio, mexendo as mãos
e caminhando nervosamente de um lado para o outro. Apenas
disse « - Igor?!» e ele estacou, olhou-me nos olhos, deu
três passadas largas até chegar junto de mim e, agarrando-me
o rosto, apenas ouvi o seu sussurrar «- Não aguento mais!!»,
antes de esmagar os seus lábios nos meus com força. Não com
a doçura do nosso primeiro beijo, mas com a selvajaria do
desejo reprimido.
A sua boca pressionava a minha, as mãos mantendo os rostos
colados, a língua tentando penetrar-me os lábios, que
abri, permitindo que me invadisse a boca e violasse os sentidos.
A sua língua explorava a minha boca furiosamente, mostrando
a força do desejo que o consumia - equivalente ao meu.
Até que, uma das suas mãos, me agarrou a nuca, alguns cabelos
enrolados nos seus dedos, enquanto a outra me agarrou a
cintura; e, dessa forma, sem descolar os seus lábios dos
meus, forçou-me a recuar até ficar prensada pelo seu corpo
contra a parede, perto da porta que dava para o corredor.
A pressão forte do seu corpo no meu, afastando as minhas
pernas com as suas, encaixando corpos, forçando o seu membro
rijo contra o meu sexo, fez com que a minha vontade de o ter
aumentasse de forma descontrolada. Céus, eu queria que
ele me comesse ali, naquele momento, rápida e sofregamente.
Sentia, pelos seus movimentos e pela dureza do seu corpo,
o quanto o seu membro queria soltar-se do interior da prisão
das calças de ganga.
A sua boca descia já pelo meu pescoço, as mãos desabotoavam
rapidamente o camiseiro e alcançavam os seios soltos,
sem sutiã, apertando-os, massajando, enquanto os seus
movimentos contra o meu sexo me faziam delirar, sentindo
a humidade que escorria para as minhas cuequinhas.
Desci uma mão e afaguei o seu membro excitado por cima das
calças, desci a outra e abri o fecho das calças, metendo
depois uma mão no interior das suas cuecas, acariciando-o
e ouvindo os gemidos que saíam da sua boca contra os meus
seios que abocanhava, lambia e chupava.
Senti que me subia a saia e, depois de me apertar o rabo contra
si, meteu a mão por dentro da minha tanga, em busca do calor
do meu sexo, da humidade que revelava o meu desejo.
O desejo que me penetrasse deixava-me louca e eu não queria
apenas os seus dedos dentro de mim, queria a sua boca, queria
o seu membro a invadir-me, a encher-me. Eu estava quase
fora de mim e, empurrando-o um pouco para o afastar, coloquei-me
de joelhos, baixando-lhe as calças e colando os meus lábios
ao seu membro, beijando-o, sentindo o seu gosto, deslizando
a língua pela sua pele, e metendo-o, finalmente, na boca,
enquanto os dedos o acariciavam.
Igor gemia roucamente e respirava de forma sôfrega, enquanto
as suas mãos tocavam a minha cabeça, retiravam o gancho
que prendia os meus cabelos e passava os dedos por eles,
livremente.

- Dona! Ó Dona!
A voz parecendo vir de muito longe, ressoava no meu cérebro.
Senti o corpo de Igor enrijecer - o corpo, não o membro porque
esse já estava bem rijo - e o silêncio cair naquela sala.
- Dona! Está aqui?
Depois de ter a certeza que não era apenas fruto de uma alucinação,
apercebi-me de como estavamos - Igor e eu - e, levantando-me
rapidamente, respondi um « - Já vou» muito apressado, apenas
para impedir o Sr. António - reconheci-lhe a voz - de avançar
além da porta, o que também não acreditava que ele fizesse.
Abotoei a blusa, meti-a para dentro da saia e, dando um sorriso
desanimado a Igor - e um olhar que dizia « - Ainda não terminámos»
- e saí para o corredor, encostando a porta da sala.

Depois daquela interrupção do Sr. António, que despachei
dali em três tempos - tinha vindo só avisar que viria na manhã
seguinte colocar a relva do lado Poente da casa - voltei
rapidamente à sala, para junto de Igor. Era urgente terminar
o que havíamos começado. O meu corpo fervia de antecipação
e desejo e a minha gruta anseava ser invadida pelo seu membro,
demonstrando-o pela humidade que dela escorria.
Abri a porta, procurei-o com os olhos e vi-o sentado na cambalhota
que estava perto das portas de vidro, de cabeça recostada
no encosto e pernas estendidas, semi-afastadas.
Pareceu não ter dado pela minha presença e, silenciosamente
ajoelhei-me ao seu lado, estendendo a mão para lhe acariciar
o rosto, fazendo-o abrir os olhos, onde brilhava o fulgor
do desejo. Disse algo entredentes que não compreendi muito
bem e pedi para repetir, o que fez num tom mais alto:
- Quero foder-te agora!! - surpreendeu-me com esta!
Como ele sabia soletrar muito bem aquela frase; fez-me
pensar em como ele havia aprendido e com quem, o que deu origem
a um sorriso meu. Este russo era «fogo».
Como que obedecendo a um comando, meti a mão dentro das suas
calças que permaneciam de fecho aberto, tirando o membro
para fora e, enquanto o olhava nos olhos, aproximei de novo
a minha boca, tocando-o deliciosamente, fazendo-o fechar
os olhos e jogar a cabeça para trás num gemido. Eu queria
fazê-lo vibrar, queria deixá-lo derretido com as minhas
carícias, louco como eu estava. Mas, a minha vontade de
o sentir dentro do meu corpo, comendo-me como eu imaginava,
era demasiada e não quis esperar mais.
Soergui-me, levantei a saia, tirei as cuequinhas e, passando
uma perna por cima do seu corpo, sentei-me nas suas coxas;
ele agarrou-me de imediato pelas ancas com as duas mãos
e puxou-me contra o seu corpo, enquanto a sua boca beijava
a minha; depois desabotou de forma apressada, os botões
da minha camisa e abocanhou um dos seios, enquanto uma das
suas mãos me apertava as nádegas e a outra se introduzia
entre os nossos corpos, para me tocar o sexo, os dedos acariciando
o clitóris inchado de desejo, esfregando-o e sentindo
a humidade que escorria por eles.
Puxei-lhe a t-shirt, despindo-lha pela cabeça e apertei-me
contra o seu peito. Pedi no seu ouvido que me enterrasse
o seu membro, mostrando o quanto o queria e Igor, segurando-o,
tocou com a ponta no meu sexo, esfregando na sua entrada,
sentindo o meu calor e, depois de introduzir até quase metade,
agarrou-me pelas nádegas e puxou-me com força, enterrando-se
todo em mim. Por momentos fiquei sem ar, ao sentir como o
meu sexo se retesava pela invasão profunda e devastadora.
Sentindo o meu desconforto, Igor tocou no meu rosto e, segurando-o,
começou a beijar-me delicadamente enquanto sussurrava
frases em russo que eu não entendia. Tacteou-me os seios
e fez deslizar um dedo pela minha barriga, atingindo o clitóris,
massajando-o, primeiro delicadamente, depois mais depressa.
O facto de estarmos apenas semi-despidos aumentava mais
a nossa loucura, o nosso tesão.
Aquele membro que me preenchia o sexo totalmente, latejava
dentro de mim e eu apenas queria o desejo satisfeito. Comecei,
então, a menear as ancas, num vaivém delirante, subindo,
descendo, rebolando o corpo, em busca do orgasmo.
Ele apressou os movimentos e, cravando os seus dedos no
meu rabo, apertou-o, introduzindo-se profundamente
em mim a cada estocada. Em delírios, os movimentos tornaram-se
mais rápidos e, quando comecei a sentir o jacto quente do
seu desejo invadindo as paredes do meu sexo, vim-me deliciosamente,
perdendo o domínio do meu corpo. Apertei-me contra ele,
cravei os dentes no seu ombro e as unhas nas suas costas,
deixando-me levar, até que os movimentos foram ficando
cada vez mais lentos, até pararem por completo, ficando
apenas abraçados, de respiração acelerada, até acalmarmos
- o seu corpo ainda dentro do meu.

Dali seguimos para um duche morno onde tornámos a fazer
amor, comigo de costas encostadas às paredes da banheira,
pernas na sua cintura e a água escorrendo pelos corpos,
tendo ambos mais um enorme orgasmo delicioso.
O fim de semana foi passado, na maior parte do tempo, na casa
nova com ele, variando nas posições, nas divisões da casa
- escondidos do Sr. António que andou no jardim toda a manhã.

© Sutra 2005

(Do meu diário Contos Secretos)


leunam68 48M
3 posts
10/8/2005 2:00 am

ola, sutra. bem eu estou sem palavras, deveras es uma mulher excepcional, de grande imaginação ou realidade, pois de alguma maneira relatas as palavras na tua pessoa. mas fiquei somente um pouco desiludido, apesar de estar bem excitado com esta historia, é de que o teu personagem foi demasiado egoista, pois só tu o puseste na maxima loucura de prazer, ele nem sequer te deu o real prazer de te fazer sexo oral o que te deixaria irremediavelmente louca de prazer, mas enfim não se pode ter tudo, mas acima de tudo te digo mais uma vez que és sem duvida um grande poço de imaginação e uma grande mulher. dou graças a DEUS por existir belas mulheres como tu.um grande beijinho.continua.


lionsp77 36M
13 posts
10/8/2005 10:39 am

Se o outro texto deixou-me sem fôlego... este terminou por aumentar o estrago, deixando-me com água na boca... vontade no corpo inteiro... e um desejo intenso.

Deliciosos os seus textos.

Beijos deliciosos a você também,
Lion
lionsp77


speedy37m 46M
2 posts
10/9/2005 2:08 am

Parabéns mais uma vez.
As tuas palavras descrevem bem a intensidade entre duas pessoas que se desejam, e como eu gosto de intensidade!!!!
Sabes, um dia eu sei que vou começar a escrever. Por isso te dou os parabéns pela coragem de escreveres, e te agradeço, por partilhares estas fantasias comigo, e me fazeres viajar, para um mundo excitante, sensual, sexual!
Um beijo, Gonçalo


rm_SweetSutra 36F
8 posts
10/9/2005 11:09 am

Obrigada pelos comentários, mas LEUNAM, essa foi apenas uma parte
Ele continuou depois. E sim, essa é realidade!

Beijos doces a ambos


vemcameubem 46M
1 post
11/1/2005 12:52 pm

Se eu tivesse o mesmo dom que tens para descrever as minhas experiências, faria de tudo para publicar um livro de contos eróticos, que indubitavelmente torna-se-ia um best seller.


ballu32 44M
4 posts
11/5/2005 10:03 am

Ola sou novo nessa área de contos ou experiências sexuais, mais o que mais gosto e ler um texto como o seu um pouco de suspense, pois o seu Antonio sega bem na hora que ta pegando fogo hahaha, gostei muito e olha que tem coleção de revistas de contos, tenho muitas historias pra contar espero saber me expressa como você.


ballu32 44M
4 posts
11/5/2005 10:08 am

    Quoting ballu32:
    Ola sou novo nessa área de contos ou experiências sexuais, mais o que mais gosto e ler um texto como o seu um pouco de suspense, pois o seu Antonio sega bem na hora que ta pegando fogo hahaha, gostei muito e olha que tem coleção de revistas de contos, tenho muitas historias pra contar espero saber me expressa como você.
Ola sou novo nessa área de contos ou experiências sexuais, mais o que mais gosto e ler um texto como o seu um pouco de suspense, pois o seu Antonio chega bem na hora que ta pegando fogo hahaha, gostei muito e olha que tem coleção de revistas de contos, tenho muitas historias pra contar espero saber me expressa como você.


kaitracid81 36M
1 post
11/5/2005 10:41 pm

Olá sweetsutra!!.
Muitos Parabens nem tenho palavras para dizer o que sinto neste momento, esta é a primeira que leio e apenas posso dizer que está de maiss!!
Beijinhos Doces!!


rm_SweetSutra 36F
8 posts
11/27/2005 10:59 am

Obrigada a todos pelas palavras
Eu escrevo sim e muito mais que isso, apenas eu coloco noutro lado que não aqui. É um site meu.

Beijinhos doces


sexotdbom 33M

12/15/2005 3:49 pm

subescrevo todos os outros comentários, historia simplesmente excelente, deixa mesmo agua na boca e calores noutres sitios


rm_che211972 44M
2 posts
3/21/2006 7:24 am

Que poderei eu dizer se não, quem não gostaria de ser o Igor?
Adorava viver uma cena dessas.

Beijos


rm_PADY8855 52M
1 post
4/9/2006 6:24 pm

Escreves muito bem. Devias pensar em publicar um livro. Interessante e muito excitante. Um beijinho. Continua


rm_MARYA14 45F
1 post
5/3/2006 7:11 pm

OLA COMEÇO LHE DANDO OS PARABÉNS PELOS ESCRITOS..VOCÊ SE EXPRESSA MUITO ...VC TEM UMA IMAGINAÇÃO FANTASTICA...SERA UMA EXELENTE ESCRITORA VÁ FUNDO E BOA SORTE..


LOBO4731 54M
2 posts
5/25/2006 3:00 pm

Queres continuar os teus contos mas comigo ?
eu sou todo de ouvidos e também sou muito hágil.
Beijos e se me deixasses te amava podes ter a certeza.


rm_Mineyru 43M
2 posts
6/14/2006 10:38 pm

Oi...amei os seus contos.
Gostaria muito de escrever um assim com você, seria maravilhoso.


Conan_beto 37M
2 posts
6/30/2006 12:39 am

Você relata com muita intensidade querida quem sabe não acontece algo sensacional com a gente meu email AdultFriendFinder me add vai bjs linda


Become a member to create a blog