Imagens Er  

rm_Decorgs 40M
1 posts
4/12/2006 6:26 pm

Last Read:
10/22/2008 3:13 pm

Imagens Er

Era uma noite fria depois de mais um dia cansativo de trabalho. O chefe havia esgotado com a minha paciência. Paciência, manda quem pode, obedece quem tem juizo. Mais um dia de trabalho-casa-banho-cama. Isso se ela não estivesse lá concentrada. Eu chego como sempre pelo andar inferior, e nesse dia eu notei sua concentração fora do comum no computador. Ela nem me viu chegar. Estranho, e ao mesmo tempo curioso. O que seria tão interessante para que ela nem notasse minha chegada? Ao mesmo tempo que eu queria ver, não queria distraí-la. Ela estava sentada na cadeira, com um pé no assento, só de calcinha e camisete, pelo que eu notei ao longe. cheguei mais perto sem fazer barulho. Deparei com a cena mais sexy que eu tinha visto até então. Ela estava num chat, de imagens eróticas observando fotos de casais transando e pelo volume dos mamilos, estava excitada. Seus olhos estavam entreabertos, e sua mão roçava o meio das pernas. Isso mesmo, ela estava se masturbando lentamente. Abafava os gemidos mordendo o lábios carnudos. Só em descrever isso, já estou excitado. Ela acariciava a boceta por cima da calcinha e subia até os seios com bicos duros. Eu esqueci todo o cansaço e fiquei observando aquela fêmea se entretendo na frente da tela. Me afastei um pouco e tratei de tirar a roupa. com muito cuidado para não chamar a atenção dela e atrapalhar aquele maravilhoso ato de carinho solitário. E ela nem imaginava que eu estava ali com o pau duro como uma rocha. Quando eu voltei a espiar, ela tinha tirado a camisete e estava com a calcinha a seus pés. Sim, ela também tinha tirado a roupa. E agora estava mais agressiva do que antes, porque eu a ví abrir bem as pernas e introduzir um dedo dentro da vagina. Eu nessa altura tinha esquecido o chefe, o frio, o cansaço e também acariciava meu membro, que já pulsava por dentro da cueca. Os gemidos dela já não estavam mais sendo abafados. Ela gemia baixinho, numa das músicas mais deliciosas que eu já ouvi na vida. Decidi então entrar no escritório e deixar a virtualidade passar a ser realidade. Devagar eu entrei lá para que ela não percebesse. Ela se assustou quando percebeu um volume lhe tocando as costas. Virou-se ligeiramente e ficou com o membro a altura do rosto. Olhou-me nos olhos incrédula e assustada. Mas aquele susto passou para um sorriso, malicioso e cheio de segundas intenções. Perguntou-me a quanto tempo estava ali. Respondi que era o tempo suficiente para que estivesse agora de pau duro, ouvindo seus gemidos e a desejando com toda a minha vontade. Ela delicadamente pegou o membro duro e quente em suas mãos e devagar começou a alisá-lo. Olhava para ele como se fosse o seu brinquedo mais querido. E o colocou na boca com ternura. Sugou primeiro a cabeça. Os lábios alisavam-no e o aqueciam na boca molhada. com uma mão acariciava o pau e o chupava, enquanto que com a outra, acariciava a bocetinha. Aquela linguinha sapeca agora brincava de percorrer toda a extensão do meu pau. com a ponta da língua ela fazia peripécias das bolas até a ponta da cabeça. Alíás ela sabe que eu fico louco quando essa lingua brinca na cabeçona vermelha. E quem não gosta. Agora ela metia o pau na boca. começou a engolí-lo devagar. Essa safada sabe fazer uma chupeta como nenhuma mulher no mundo. Engoliu a metade. Olhava para cima com a metade do pau na boca e virava os olhos em minha direção. como quem diz "está gostando?". A putinha engoliu o caralho quase que todo enquanto eu soltava suspiros de tesão. Peguei-a pelos cabelos e segurando sua cabeça enquanto ela ia e voltava chupando o mastro... e com aquela mãozinha pequena atolada na boceta. De vez em quando parava e me falava coisas como "adoro chupar essa pica" e "estou molhada de tesão para você". Peguei-a no colo e a coloquei em cima da mesa. Beijei-a apaixonadamente um beijo ardente e cheio de tesão. As linguas se violentando dentro das bocas. Coloquei-a na beirada da mesa, me ajoelhei no chão, suas pernas sob meus ombros e fiquei vislumbrando aquela rosa úmida. O cheiro inebriante de boceta exalava dela. com a língua massageei-a por toda extensão. Ela soltou um gemido alto, como se liberasse algo reprimido. Passei as mãos pelas suas coxas enquanto lambia sua xana. Acariciava suas coxas grossas com minhas mãos grandes e firmes. Lambi, suguei, mamei, chupei, mordi e por fim, introduzi meus dedos naquela boceta toda melada. Ela se contorcia de prezer sentindo meus dedos e boca. Ela não aguentou e gozou gostoso com minha chupada. Eu chupava ela e me masturbava vendo ela gozar. Seu rosto enrubeceu, seus mailos ficaram mais duros que nunca e ela estremeceu e relaxou. Parei a chupada depois dela se soltar toda. Acariciei seu rosto e a beijei com ternura. Mas tanto eu quanto ela, queríamos mais. Aquele beijo que começou com ternura começou a ganhar ares de selvageria. As mãos dela puxaram minha cintura para junto da sua, ela agora de pé em frente a mim. Sentiu meu pau duro ainda, pegou-o com as mãos e me disse querer ele todo dentro dela. Ao terminar de falar isso, eu a peguei pela cintura e a levei até a parede, sem deixar de beijá-la. Ela só parou quando a comprimi contra a parede, e sentindo isso, eu a virei de costas para mim. Aquela bunda maravilhosa agora recebia meu pau roçando por entre ela. segurei sua cintura e comecei a roçar o pau na bunda, puxando sua cintura contra ele. Ela estava com as duas mãos na parede se apoiando e empinava a bunda para aquele gostoso corpo-a-corpo. Aquela vadia me tirou do sério com isso. Olhava pra trás com os olhos entreabertos e passava a lingua pelos lábios com cara de quem estava adorando. Peguei-a pelos pulsos. com uma mão segurei os dois pulsos dela deixando-a imóvel. Ela se arrebitou toda. Aquela bunda deliciosa se empinou o que pode e eu com a outra mão dei-lhe uns tapinhas de leve. Ela gemia alto agora, impossibilitada de se soltar da minha armadilha. Peguei o pau com a minha mão e passei a cabeça naquela boceta que estava toda melada, quase que pingando seu mel. Acariciei a xana até ela implorar para que lhe enfiasse o mastro boceta adentro. E foi isso que fiz. Coloquei a cabeça devagarinho para dentro. Fui penetrando aos poucos enquanto ela rebolava gostoso e me engolia. Ela não mais gemia, viraram gritos, como nunca havia feito. Ela me chamava de puto, mandava arrebentar a boceta, que era uma vadia que queria ser arrombada agora mesmo. Ouvindo aquilo de umá única vez, meti o caralho todo dentro. Ela estava toda molhada, latejava, aprisionando meu pau como que não querendo deixá-lo sair de dentro dela. começou a rebolar na vara dura me mandando meter fundo naquela boceta. Xingava, gemia, gritava, pedia mais e mais fundo. começamos a acelerar os movimentos porque ambos não aguentávamos mais. Ela mais uma vez gozou, com o pau atolado na xana. Eu aguentei o que pude, e quando chegou a hora, tirei-o de dentro dela e gozei todo meu leite quente na bunda deliciosa dela. Ela gemeu muito sentindo os esguichos parando na sua bunda. Gozei muito naquela bunda gostosa, melando-a toda, até escorrer perna abaixo. Ela como uma fêmea louca de desejo, se lambuzou no meu leite quente passando a mão e levando aos seios. Foi delicioso ver aquela mulher cheia de tesão se lambuzando toda, como que perdendo o sentiodo. nos abraçamos, beijei sua boca apaixonadamente e falei que a amava muito. Resolvemos tomar um banho de banheira depois daquela que foi a melhor transa dos últimos tempos. A banheira quente e relaxante, acompanhada de champagne e carinhos amorosos. Logo, o tesão começou a votar, mas o resto da história fica para outro dia...


Become a member to create a blog