Parte II - Um casal muito interessante  

rm_01rasta 51M/51F
140 posts
3/24/2005 11:08 am

Last Read:
3/5/2006 9:27 pm

Parte II - Um casal muito interessante

PARTE 2 Dia seguinte , sol quente , e as 10 horas da manhã com nossos respectivos maridos ainda dormindo , desço para a piscina e já encontro Marla tentanto recuperar o bronzeado perdido em muito tempo na Dinamarca . Ficamos ainda algum tempo reclamando alegremente dos nossos corpos doloridos e trocando impressões sobre a noite anterior como se fossemos amigas a longo tempo. Trocamos mil confidencias a respeito de nossas aventuras sexuais , dentro e fóra do casamento, e logo nossas risadas nervosas indicavam a excitação voltando a tomar conta de nós . Ambas vestíamos sumarissimos bikinis que mal cobriam nossas partes, e com o movimento nervoso das pernas insistiam em se enfiar nas nossas rachinhas doloridas e nossos reguinhos famintos. Exibicionista e provocante como poucas , Marla com um estudado descuido , por várias vezes durante nossa conversa , fazia um dos seios pular para fóra , mostrando o biquinho endurecido , visivelmente me provocando com o ar mais inocente do mundo . Aproveitando omomento comentei com ela sobre o prazer descoberto na noite passada ao trepar com ela , embora nunca tivesse experimentado antes com outra mulher , e que me sentia um pouco culpada , ao que ela argumentou :  “ Não seja bôba , Rose . Você ainda não percebeu que o grande normal na nossa época é ser bi-sexual ? Todos nós , homens e mulheres , admitindo ou não gostariamos de ter as ditas relações homo-sexuais.  Não foi bom para você ? Se fosse anti-natural você acha que teria gostado ? É a mesma coisa com os homens , com os nossos homens.  Já reparou no sucesso dos travestís ? os homens são loucos por eles. Quando argumentei que Roger e Peter não levavam jeito de gostar de foder com outros homens , ela riu muito e ficou os próximos quinze minutos tentando me convencer que todos os homens modernos e saudaveis , com bôa cabeça , tinham seus desejos secretos de transarem com outros homens. Como eu continuasse descrente , Marla partiu para um argumento definitivo : -- “ Tá bom , você não quer acreditar que nossos maridinhos , nossos machos queridos também podem ficar fascinados por um outro pau ! Vou te provar . Deixe-me bolar um plano ! Com a ajuda de algumas caipirinhas que eu mesma fui preparar , logo logo ela já sorria com um plano em mente , e me deu as instruções : -- “ Quando eles chegarem aqui , vou iniciar um assunto e você vai concordar comigo em tudo . Durante o dia vamos deixa-los bem bebadinhos e cheios de tezão , mas não vamos deixa-los gozar antes da noite . Vamos excita-los bem durante o dia , mas sem terminar . E assim foi feito . Tão logo os rapazes desceram para a piscina , as caipirinhas, os petiscos e duas belas mulheres semi-nuas esperavam por eles. A visão de nossas bucetinhas e bundas mal cobertas pelos biquinis molhados logo começaram a produzir efeitos nos dois , que procuravam disfarçar as olhadas sem muito sucesso . Aprendendo com minha professôra favorita , não perdí nenhuma ocasião de fazer aparecer “ acidentalmente “ um pedaço mais do meu corpo , fosse um peito quase para fóra do soutien ou os pelinhos molhados escapando pelo lado da calçinha do bikini. Como era natural , Roger dedicava mais tempo a me admirar e Peter não tirava os olhos do show de exibicionismo da Marla . Obviamente , pouco tempo depois já podiamos notar os shorts estufados por aqueles dois paus magnificos , que agora nós duas já conheciamos muito bem . Quando percebemos que eles já estavam bem alegrinhos , Marla comecou a comentar que os homens em geral não sabiam cantar as mulheres, principalmente quando a intenção maior era o sexo . Logico que eles protestaram muito , mas lembrando da orientação , concordei enfaticamente com Marla , falando que muitas vezes eles chegavam a ser grosseiros , tentando ser excitantes . O assunto se prolongou pelo almoço tôdo , até que Marla tomou a palavra :  “ OK ! Vocês machos acham que sabem tudo , mas nunca pensaram como se sente uma mulher sendo cantada. Querem ficar no nosso lugar apenas por uma vez ? Que tal mudar de lado e serem assediadas por nós duas , como se eu e a Rose fossemos dois homens desconhecidos ?” Com relutancia os dois concordaram com a experiencia , mas queriam saber detalhes de como seria feito o teste. Marla falou que esperassem até a noite e concordassem em fazer tudo o que eu e ela quizessemos , sem reclamações . Sei lá os que eles pensaram , mas toparam a parada e até ficaram um pouco mais excitados . No inicio da tarde eu e Marla fomos sózinhas até a cidade mais próxima, sob protestos de nossos tezudos maridos que já deviam estar planejando aquela trepada para depois do almoço . Sempre guiada por ela , fomos primeiro até uma loja de perucas e compramos duas . Proxima parada , loja de lingerie onde gastamos uma nota em meias super sexy , calçinhas de puta e soutiens com bojo artificial . Eu já estava entendo o plano da maluca da Marla , mas me surpreendi quando entramos numa sex-shop e ela comprou dois vibradores especiais , conhecidos como strapon , fabricados com cintas que serviam para prender nas pernas e quadris , mantendo-os como verdadeiros cacêtes quando vestidos por uma mulher. Nos divertimos muito comentando sobre a surpresa que eles teriam , mesmo sem que eu soubesse todo o plano de sedução . Voltamos para casa cheias de sacolas e pacotes e escondemos tudo dos nossos curiosos maridos . Lá pelas sete da noite , todos acordamos da soneca da tarde , e voltamos a enfrentar um lanche rápido regado a generosas doses de um vinho branco geladinho , que após algumas taças já fazia com que todos voltassem para aquele estado de semi-embriaguês tão conveniente quando se quer aprontar alguma . Maliciosamente , Marla e eu conduziamos a conversa para assuntos excitantes , e aproveitavamos todas as oportunidades para provoca-los com exibições inocentes e esbarrões “acidentais”. Lá pelas nove horas , com todos os empregados recolhidos a suas casas distantes , Marla resolveu abrir o jogo , lembrando antes que eles haviam concordado em fazer tudo o que pedissemos.  “ Muito bem , garotos, fiquem comportadinhos que eu vou explicar as regras do jogo . Para que , pelo menos uma vez na vida , vocês saibam como nos mulheres nos sentimos , vocês dois vão se travestir de mulheres, dos pés a cabeça , com algumas roupas que compramos , maquiagem , perucas e tudo mais . Nenhum de vocês tem barba ou bigode e , temos que admir , tem umas carinhas bem bonitinhas , que com algum trato podem passar muito bem por travestís .  Eu e Rose vamos nos travestir de homem , aproveitando nossos convenientes cabelos curtos , usando algumas roupas de vocês .  Eu e ela vamos transformar a borda da piscina numa especie de barzinho ao ar livre , pouco iluminado , e vocês dois vão para lá , como mulheres , esperar pelo nosso assédio . Vamos imitar as cantadas típicas que voc6es nos dão habitualmente e fazer tudo o que vocês fazem . Alguma dúvida ? Roger e Peter ameaçaram algum protesto mas acabaram achando divertido e foram para os respectivos quartos onde já haviamos organizado toda a vestimenta e maquiagem . Eu e Marla rapidamente vestimos umas calças deles , um pouco grandes para nós , diga-se de passagem, camisas sociais , penteamos nosso cabelo com gel e finalmente fixamos os vibradores em nossas cochas , prendendo a ponta deles nas pernas com elastico . Nós também pareciamos dois travestís muito bonitinhos e rimos muito ao nos olhar no espelho , principalemente o volume que os cacetes artificiais faziam na nossa frente. Corremos para simular o barzinho na piscina , deixando um ambiente de penumbra planejada e esperamos por eles sentadas numa das mesinhas. Quando eles apareceram foi uma surpresa agradavel ver como eles haviam caprichado em tudo , com maquiagem bem dosada , mini-vestidos elegantes , seios arrumadinhos e as perucas muito bem disfarçadas. Eu estava me preparando para rir muito , mas o que senti foi uma estranha sensação que não conhecia aqueles dois que muito compenetrados sentavam numa mesa próxima. Eles estavam representando bem demais , sem galhofas ou piadinhas , o que provocou o comentário de Marla sussurrado nos meus ouvidos :  “ Rose , repare que eles estão surpresos com eles mesmos ! Eles estão sentindo a sensação estranha de vestir nossas deliciosas roupas femininas , e gostando . Note que eles estão com uma mistura de excitamento e mêdo, porque estão descobrindo um outro lado deles.” Era verdade. Os dois conversavam entre eles com todos os trejeitos de duas mulheres verdadeiras , sem os exageros das bichas ou os delirios daqueles travestís tresloucados . O diabo é que eu também estava sentindo uma excitação crescendo dentro de mim , no meu papel de homem , tendo pela primeira vez um enorme cacete no meio das minhas pernas , parecendo até que endurecia sózinho . Mais algumas taças de vinho para todos e eu e Marla nos aproximamos da mesa deles com aquele jeito típico de homem abordando mulheres num bar . Nos apresentamos e pedindo licença sentamos cada uma do lado do seu marido travestido , com troca de beijinhos respeitosos no rosto e tudo mais. Puxamos uma conversa bôba , falando do tempo , do lugar , tentando advinhar o estado civil de tôdos , enfim aquele ritual de sempre. Eu e Marla fomos buscar mais bebidas para eles e na volta já aproveitamos para sentar mais juntos , colando discretamente as pernas e preparando a abordagem . Dalí para os beijinhos e discretas caricias nos braços e pernas foi um passo . Eles reagiam como perfeitas mulheres , dificultando um pouco nossos avanços , mas cruzando as pernas e exibindo as cochas vestidas com sensuais meias de sêda. Misteriosamente , em nenhum momento alguém riu da situação ou fez piadinhas a respeito e o que se percebia era um clima tomando conta, cada um mais e mais compenetrado do seu novo papel . Tentando seguir todos os passos de Marla , imitei-a quando ví a mão dela deslizar para as pernas de Roger e se enfiar um pouco sob o vestido, acariciando suavemente as pernas dele. Sentí um arrepio percorrer meu corpo quando minhas mãos acharam o fim da meia nas cochas de Peter e entusiasmada , com a outra mão libertei do elastico o vibrador , estufando minhas calças masculinas. Foi só me encostar mais para Peter botar a mão no meio das minhas pernas e acariciar o volume do meu pau , lentamente , de cima pra baixo, como querendo advinhar o tamanho . Quando minhas mãos alcançaram a minuscula calçinha que ele usava , pude sentir aquele caralho delicioso querendo pular para fóra , sufocado pelo nylon . Tomei a iniciativa e continuando a representação convidei a todos para ir ao nosso “ apartamento “ e ficarmos mais a vontade , convite esse imediatamente aceito . A sala previamente preparada , já estava apenas iluminada por suaves luzes indiretas , um cheiroso incenso queimando, garrafas e taças a postos no baldinho de gêlo, musica suave e almofadas espalhadas em cima do grosso e macio tapete . Tipo apartamento de solteiro , pronto para farras. Nos acomodamos pelas poltronas e mais um cigarrinho especial e o amasso voltou com fôrça . Enquanto beijava a boca de baton do Peter, minhas mãos se enfiavam por baixo da roupa dele , encontrando o contato suave da lingerie , os seios falsos, as ligas , e sentindo o delicado perfume feminino que ele usava . Estranhamente , as mãos dele não tentavam alcançar minha rachinha ou meus peitos , como habitualmente , mas concentravam-se em acariciar minha vara , que após algum esforço para abaixar o ziper era puxada para fóra . Nós estavamos numa larga e confortavel poltrona , e uma rápida olhada para o chão mostrou-me o Roger ajoelhado no meio das pernas de Marla , chupando gulosamente o pau dela , com um gosto e habilidade incrivel . Ela havia tirado as calças , ficado só de cuecas e camisa social, e na minha conturbada mente estava cada vez mais dificil entender quem era quem , qual era o homem e qual a mulher . Com inveja , afastei um pouco o Peter e também me livrei das calças , obrigando-o ajoelhar no tapete e abocanhar minha vara . Tanto quanto Roger , ele acedeu prontamente e com o maior capricho começou a mamar primeiro a chapeleta , depois passando a lingua nos lados e finalmente enfiando todo na bôca . Eu e Marla trocavamos olhares excitados , e o dela parecia dizer : “Não te falei … não te falei … “ . Minha mente pulava de um lado para outro ; num momento eu me achava um verdadeiro homem trepando com uma mulher , logo depois me tezava tôda vendo meu marido travestido me chupando como um viadinho muito experimentado . Alguns minutos de chupada e eu transtornada já queria mais . Mandei Peter levantar e abaixando sua calçinha até o meio das cochas fiz ele virar de costas e vir sentando aquela bunda gostosa sobre meu cacête. Ele mesmo abriu a bunda para que eu apontasse o pau na direção do cuzinho , mas fomos interrompidos pela voz de Marla :  “ Passa o creme Nivea … lubrifica bem para entrar melhor … “ Convenientemente o potinho de crème estava ao nosso lado , e molhando dois dedos , lubrifiquei a portinha do cú dele , aproveitando para enfiar os dedos suavemente , provocando um gemido de prazer no Peter . Animado , ele mesmo pegou o crème e lubrificou meu pau com todo cuidado e virando de costas para mim voltou a se acomodar para ser enrrabado . Minha visão era maravilhosa ! Agora eu tinha certeza que tinha um pau e que poderia comer quem eu quizesse. Aquela bunda gostosa , bem aberta , oferecendo um cuzinho apertado e ancioso para ser penetrado , a ponta do caralho forçando as preguinhas e entrando lentamente, os gemidos de dôr e prazer do Peter … era demais ! Apenas segurei meu pau firmemente e deixei Peter ir se enfiando conforme o seu gosto , até onde ele quizesse. E ele quiz tudo ! Só parou com um suspiro de alivio e satisfação quando sentiu as bolas encostarem no rêgo . Ao lado , Marla ajeitava-se atrás de Roger , que de quatro no chão , com a saia levantada e já sem calçinhas exibia uma deliciosa bunda rosadinha , sem pêlos , permitindo aparecer o anelzinho pregueado que chegava a piscar de vontade . Sem usar o crème , apenas com o vibrador molhado pela saliva , ela com habilidade apontou a cabeçona no buraquinho e foi enfiando sem dó nem piedade , até que ele sumisse completamente enfiado no rabinho do marido . A facilidade com que Roger engoliu aquela vara tôda me fez pensar que certamente ele já tinha alguma experiencia a respeito . Assim que ela iniciou os movimentos de entra e sai , Peter animou-se e também começou a erguer a bundinha , puxando quase até a ponta do me pau e voltando a se enfiar suavemente . Eu pensei que ia ficar louca de tezão . Ver aqueles dois machos gostosos, disfarçados de mulher e sendo fodidos por nós duas era mais do que podia suportar . Minha racha se contraia e me leite escorria pra fóra , lambuzando a correia do vibrador . Agarrei Peter pela cintura e comecei a ajuda-lo nos movimentos cada vez mais rápidos , fazendo seu cuzinho virar e revirar . Nós quatro gemiamos como se estivessemos sendo torturados , e a Marla, meio engasgada dizia :  “ Ai caralho … puta cuzinho gostoso de foder …. Rebola , mexe , filho da puta …. Engole minha pica inteira , vamos …. Vou te arrombar essa bunda deliciosa …. Vou sumir com todas as tuas preguinhas …. Assim , gostoso … aguenta a vara todinha …” Eu bem que queria também falar , mas a tezão me sufocava e apenas enfiava cada vez mais forte no cú de Peter , pensando que agora ele estava sentindo o que eu sentia quando enrrabada e eu estava descobrindo o prazer dele quando comia minha bunda . Marla também demonstrava muita habilidade na coisa tôda , porque fazia aquela vara entrar e sair da bunda de Roger em movimentos ritmados , certinhos . Depois de muita enfiada , Peter anunciou que não aguentava mais e ía gozar , o que fez com que parassemos a fóda imediatamente , pois a ultima coisa que queriamos era ter aqueles paus amolecidos . Desengatamos dos dois e a professôra Marla assumiu o controle novamente :  “ Muito bem , suas putinhas gostosas . Nada de gozar rapidamente . Vamos esfriar um pouco esses cuzinhos , tomando um vinho geladinho e já voltamos com novas posições .” Todos tentaram relaxar um pouco , e era uma cena muito interessante ver quatro pessoas tão diferentes e todos sem excessão exibindo cacêtes duros e balançando , mal cobertos por camisas e mini-vestidos amassados. Sem conseguir ficar muito tempo quieta , Marla resolveu inventar novas módas e achando duas tiras de pano preto , passou a dar as novas ordens para Roger e Peter : -- “ OK , meninas ! Agora vamos mudar um pouquinho as regras do jogo. E vou tampar os olhos de vocês duas de maneira qe vocês não enxerguem absolutamente nada e façam apenas o que nós mandarmos, sem saber muito bem o que vem pela frente . Certo ? “ Nem esperou a resposta e já passamos a tampar bem cuidadosamente os olhos dos dois , ao mesmo tempo que olhava maliciosa para mim e piscava um olho . Em seguida fez od dois deitarem no tapete , um no sentido contrario do outro de maneira que a cabeça de Peter estava na direção dos pés de Roger, sem que eles percebessem.  “ Agora vocês vão ter chance de chupar um pouco mais as nossas picas , porém sem saber de quem estão chupando . Além disso vamos trocar várias vezes para confundi-los mais ainda. Quando perguntarmos , vocês vão tentar advinhar de quem é o pau que estão mamando , e se acertarem vão ganhar de prêmio umas comidas bem gostosas nessas bundinhas famintas “ Apenas com gestos , ela fez sinal para mim que ajoelha-se ao lado de Roger e enfiasse me cacête na sua bôca , enquanto ela fazia o mesmo em Peter . Os dois mais que rapidamente apossaram-se das varas e mamaram gulosamente . Quando eles estavam pegando o gosto , ela fez sinal para mim que trocassemos e da-lhe mais chupada . Pouco mais , e ela silenciosamente me chamou a atenção para o que estava planejando . Na proxima troca , em vez de colocarmos nossos vibradores na bôca deles , pegamos seus próprios caralhos endurecidos e direcionamos para as boquinhas abertas deles . Por uma fração de segundo os dois pararam de chupar , pois obviamente perceberam a diferença , porém , para minha surpresa , se fizeram de bobos e começaram a chupar as respectivas picas com mais gosto ainda . Um frio percorreu minha espinha de cima até em baixo , vendo aqueles dois belos exemplares de machos enchendo a bôca com aquelas magnificas picas . Marla se ajoelhou ao meu lado e acariciando minha bunda , estimulava mais ainda os dois :  “ Assim , suas putinhas …. Chupem com gosto … sintam o salgadinho gostoso de nossas piças … sintam a cabeça grossa bater no céu da bôca …. Sintam as veias grossas roçando seus lábios … chupem com gosto … vai ser dificil vocês encontrarem duas varas tão gostosas assim disponiveis … estão gostando , não é , suas putinhas ?! .. “ Novamente minha cabeça começava a girar , ficando um pouco confusa e muito tezuda , no meio daquele ambiente pouco iluminado e rodeado da nevoa gerada pelo incenso e pelo fumo , meu próprio marido chupando deliciado a mesma pica que eu também havia mamado , enquanto aquele outro homem gostoso mamava a vara dêle com o mesmo ou maior gosto que eu . Para completar , aquela mulher deliciosa e perversa ao meu lado , passando os dedos no meu rêgo , tentanto enfiar um dedo no meu cuzinho, enquanto minha mão acariciava os lábios de sua rachinha e sentia aquela molhadeira tôda me lambuzando os dedos . O cheiro de fóda no ar era inebriante, como um tóxico poderosissimo. Meus bicos das têtas doiam de tanta tezão , e eu não sabia para onde olhar , o que fazer . Nossos dois maridinhos queridos já haviam perdido a vergonha completamente e ambos usavam as mãos para segurar a pica que tinham na bôca , acariciando as bolas , passeando nas bundas , e mamando cada vez mais com fôrça . Minutos depois , um gemido profundo de Peter , seguido de outro do Roger indicava que eles não conseguiam mais segurar o gôzo , que realmente veio farto e forte , enchendo suas bôcas sedentas , que nem por um momento pensaram em se soltar os caralhos . Muito pelo contrário , mamavam com mais vontade ainda , bebendo gulosamente aquele leite quente que chegava a escorrer pelos cantos das bôcas . Era a tezão de um dia inteiro explodindo de uma vez só e eles rolavam pelo chão sem se largar , gemendo , lambendo e engolindo tudo . Aquilo foi demais para mim , e minha vista escureceu e meu corpo todo sacudiu nm gôzo infernal , como se eu estivesse esporrando por todos os poros do corpo . Era eu chupando o pau do Roger , do Peter e ao mesmo tempo sentindo a lingua daquela depravada maravilhosa me invadindo a buceta . Praticamente desmaiei , e quando voltei a mim estava caída no tapete , ao lado daqueles corpos cansados que respiravam fundo ao meu lado. A nevoa era mais densa ainda e eu já estava em dúvida se era minha conturbada mente ou o fog real dos cigarros . Breves minutos de descanso geral e logo a insaciavel da Marla , enchendo novamente as taças de vinho branco e convocando todo mundo para a continuação da festa . -- “ vamos meninas ! o que é isso ? derrubadas desse jeito com apenas uma gozadinha ?! A noite é uma criança e eu e meu amigo ainda temos muita tezão para gastar … vamos animem-se ! precisam de uma ajudinha extra ? “ Unindo ação às palavras , ela se ajoelhou no meio de Peter e Roger e começou a brincar com os cacêtes amolecidos , lambendo-os alternadamente , acariciando as bolas , fazendo as mãos sumirem pelos rêgos , provocando a excitação dos dois . Ainda tonta , achei melhor ficar caído no meu canto apreciando aquela puta se deliciando com as duas picas , que começavam a responder aos seus carinhos , endurecendo pouco a pouco , enchendo cada vez mais a boca dela . Os dois continuavam com os olhos vendados , e não pareciam incomodados com isso . Logo o cansaço do gozo dava lugar a pequenos gemidos e tremores nos corpos , indicando claramente a excitação que voltava . Quando finalmente aquelas duas picas enormes estavam completamente duras e apontando para o alto , não resistí e me juntei a ela no revezamento da chupetinha , lambendo-as de cima até em baixo e sentindo ainda o gosto do gozo recente . Foi só Marla perceber que a temperatura já estava alta novamente que deu continuidade aos seus planos . -- “ Assim que eu gosto , suas putinhas ! … bem tezudinhas … agora quero vocês duas ajoelhadas no chão , com as carinhas no tapete e as bundinhas bem para o alto , bem abertinhas , para que nós homens possamos nos divertir com esse cuzinhos gostosos … assim mesmo … levantem bem esses rabos deliciosos …. Abram um pouquinho as pernas para ficar mais fácil … eu garanto que não vai doer quase nada , afinal vocês já estão bem lubrificadinhas e abertas … Ässim que os dois ficaram na posição desejada , Marla ergueu Peter e acomodou-o atrás de Roger , guiando-o cuidadosamente para se ajoelhar e segurando a vara em direção ao cú do seu marido. Colaborando , abrí bem os dois lados da bunda de Roger , expondo aquele buraquinho apertado para que Marla encostasse a chapeleta na portinha . Ela mesma foi empurrando Peter para frente , dirigindo o pau , forçando a entrada até que a cabeça sumiu gostosamente naquele buraquinho . Os dois gemeram aprovando a experiencia e daí em diante foi fácil . Em segundos a pica do meu maridinho querido estava deslizando para dentro de Roger , me provocando arrepios pelo corpo todo , pois eu agora podia ver como acontecia quando eu mesma recebia aquela vara dentro de mim . Roger , tão logo se sentiu repleto , começou a rebolar aquela bunda rosada gostosa , como que querendo engolir mais ainda . Peter segurou-o pela cintura e iniciou os movimentos de entra e sai lentamente , puxando a piça até a ponta , quase deixando sair e voltando a enfiar até o fim , fazendo os dois sacos se encontrarem . Aquilo tudo acontecia a poucos centimetros do meu rosto , e me deixava louca de desejo . Num segundo eu queria estar comendo aquele cú gostoso , no outro queria estar levando no rabo aquele caralho enorme . Não aguentei , e me enfiando por baixo de Roger , abocanhei seu pau , mamando como uma bezerra , sentindo os empurrões de Peter e sabendo que a cada um deles a vara estava se enterrando toda . Na minha loucura crescente , tive a impressão que seria possivel chupar aquelas duas varas ao mesmo tempo . Assim que os movimentos começaram a ficar mais rápidos , Marla interrompeu a fóda e sem explicar nada , inverteu as posições , obrigando Peter a se ajoelhar e Roger enrraba-lo . Minha racha deu um pulo ao imaginar que seria mais facil para o meu maridinho engolir aquela vara no rabo por estar molhada pela minha própria saliva ! Substituí Marla para ajudar Roger e ela , me imitando , deitou-se embaixo de Peter para chupa-lo . Segurei com gosto aquela vara endureçida e me surpreendí por sentir um prazer extra cada vez que sentia o pau de Roger na mão . Fiquei até um pouco decepcionada quando tive que solta-la para que ela entrasse tôda no faminto cú de Peter . Deu até inveja , lembrando da noite passada . Era incrivel ver como o cuzinho de Peter se abria tôdo para receber aquela vara grossa e dura . Por instinto , fui para trás de Roger e apontei meu cacête para aquela bunda gostosa , e sem muitos cuidados , enfiei de uma vez só , empurrando-o para frente e consequentemente enterrando a pica dele no rabo de Peter . Aquela parecia a combinação ideal , a julgar pelos gemidos de tezão de todos , e depois de alguns segundos necessários para sincronizar os movimentos , estavámos os quatro fodendo como loucos . Transtornada , peguei a garrafa de vinho gelado ao meu lado e derrubei o seu conteúdo sobre nós , provocando gritos de tôdos e aumento da velocidade nas enfiadas . Desconfortavel em sua posição , Marla saiu debaixo de Peter e me agarrando por trás, sem cerimônia enfiou seu cacete no meu dolorido cuzinho , fechando o trenzinho do prazer . Mais um pouco para nos sincronizarmos e a fóda estava completa . Marla , como sempre , encarregava-se do som de fundo , xingando todos nós , irradiando o jôgo , fazendo nossa tezão crescer mais ainda . Muitas enfiadas depois , o gozo veio , começando por Peter , seguido por mim , depois Marla e finalmente Roger enchendo o rabo do meu maridinho de leite . Gritamos tanto , que , apesar da distancia , acho que até nossos vizinhos devem ter ouvido . Aí o desmaio foi geral . Não sei quanto tempo ficamos alí caídos , mas era noite alta quando criei coragem para acordar Peter e irmos até nosso quarto . Joagamos as vendas e os vibradores em qualquer canto e nos entregamos a um sono mais que merecido .

To de novo muié......senta aqui .....isso....hagmmm!!!!!

[]s


Become a member to create a blog