Mais nada 2  

alextavares78 38M
0 posts
5/19/2005 4:48 am

Last Read:
3/5/2006 9:27 pm

Mais nada 2

A CULTURA DO KIWI NA BAIRRADA

1 ‒ ORIGEM

A espécie de actinídea cultivada no nosso país é originária do interior da China. De entre muitas espécies, a Actinídea deliciosa, é sem duvida a mais importante sob o ponto de vista frutícola.
A introdução da actinídea na Europa (Inglaterra) só se deu por volta de 1903.
A Nova Zelândia, o país que fez a selecção desta espécie e a elevou de cultura espontânea a cultura industrial de grande interesse, foi o maior produtor mundial de Kiwis até finais da década de 80, tendo sido ultrapassado pela Itália, que, em 1989 apresentava já uma área de 18*103 e uma produção de 210*103 toneladas.
A produção mundial atinge, actualmente, valores próximos de 1 milhão de toneladas/ano.
O registo do primeiro pomar em Portugal teve lugar em Vila Nova de Gaia em 1973, expandindo-se fortemente pela região de Braga com o apoio de técnicos franceses em 1977. A Associação de Produtores de Norte é formada em 1986.
Em 1989 existia em Portugal 857 explorações de Kiwi equivalentes a 860 ha .
Em Portugal a área de produção tem-se mantido estabilizada em torno dos 1.000 hectares e a produção perto das 10.000 toneladas. A Região Entre Douro e Minho representa 74% da área nacional; a Beira Litoral 22% estando os restantes 4% localizados na região de Ribatejo e Oeste.

2 ‒ MORFOLOGIA DA PLANTA

A Actinídea deliciosa é uma espécie dióica, isto é, cada planta desenvolve ou flores estamiferas (masculinas) ou flores pistiliferas (femininas) o que obriga, quando se deseja uma boa polinização, a presença das duas plantas no pomar. Ambas as flores embora fisiologicamente unisexuais, contém indícios, mais ou menos desenvolvidos de orgão do outro sexo, isto é, o ovário encontrar-se atrofiado nas flores masculinas e o pólen é estéril nas femininas.


2 .1. Raíz
A Actinídea apresenta raízes carnudas e muito ramificadas, passando de cor clara, quando jovens, para cores mais escuras com a idade. São superficiais, mas quando o solo é fundo e ligeiro estas podem atingir o 2 m de profundidade.

2.2. Tronco
No início da plantação a planta apresenta um ou vários sarmentos flexíveis, obrigando à tutoragem para que venha a criar-se o verdadeiro tronco. Com o desenvolvimento da planta este sarmento com um diâmetro entre os 4-7 cm, transforma-se num tronco lenificado que chega a atingir os 25 cm aos 30 anos de idade.
O diâmetro das plantas jovens aumenta em média dois centímetros por ano.
O desenvolvimento do diâmetro do tronco depende das condições pedoclimáticas, do sistema de condução da planta, da adubação e da disponibilidade dos recursos hídricos.

2.3. Ramos
A Actinídea caracteriza-se por ser uma planta sarmentosa (ramos flexíveis, semi lenificados) comuns nas plantas trepadeiras.
Os ramos em plantas jovens têm um crescimento inicial muito rápido, chegando à atingir os 10 cm/dia e são de aspecto herbáceo, sendo cobertos de pelos avermelhados ou esverdeados de acordo com o vigor e a variedade. No estado adulto o crescimento dos ramos é mais lento.
Esta espécie caracteriza-se por possuir dois tipos de ramos: só com gomos foliares ( ramos de madeira); com gomos foliares e florais ( ramos mistos)

2.4. Gomos
Podem considerar-se na Actinídea dois tipos de gomos:

a) Foliares ‒ gomos que nascem, fundamentalmente, fora da axila das folhas e que originam ramos de madeira (sem flores).

b) Mistos ‒ gomos que se localizam nas axilas das folhas, dos rebentos que inicialmente surgem, do tipo herbáceo e com crescimento rápido, que ao se desenvolverem transformam-se em ramos (varas) de madeira e ramos portadores de flores.

No referente à posição dos gomos estes classificam-se em: normais ou axilares e adventícios ou terminais. Os gomos ladrões podem ser originários de gomos dormentes (os que não abrolham no ano seguinte à sua formação). Os gomos mistos formam-se imediatamente antes do abrolhamento.

2.5. Folhas
As folhas são simples, de coloração verde, sendo mais escuras na parte inferior, de forma codiforme, recorte dentado, nervação perinérvia, gabras na página superior e pilosas na inferior, caducas, podendo a sua dimensão ou largura do limbo situa-se entre os 5 e os 20 cm, de acordo com a idade, vigor, sexo e variedade da planta. A consistência é herbácea.

2.6. Flores
As flores de Actinídea têm 5 sépalas, e entre 4-8 (seis o mais vulgar) pétalas. Estas ultimas são de cor branca-cremosa, grandes, podendo as flores femininas atingir os 5-7 cm, e as masculinas dimensões mais pequenas. As flores são unissexuadas, mas de aparência bissexuada, embora os pés machos tenham ovários estéreis e atrofiados, mas com um alto potencial em pólen; e as femininas apresentem pólen inviável. As flores estão situadas na base das 7-8 primeiras folhas dos lançamentos do ano dos ramos mistos.
As flores podem apresentar-se solitárias ou estar reunidas em grupo de três.


Become a member to create a blog